Barry Lyndon

barrylyndon3

(Barry Lyndon – Stanley Kubrick – 1975)

Dando continuidade a periclitante maratona Kubrick, pois Claire Danes ameaçou de chamar o Exterminador do Futuro pra nos dar uma fuzilada caso não sigamos a agenda à risca, a minha tarefa dada por Claire maravilhosa foi assistir a Barry Lyndon e eu estou severamente agradecido por ela ter me apresentado um dos melhores do Kubrick (porque nada vai bater Glória Feita de Sangue) e um dos (e porque não ‘o’) filmes mais bonitos de todos os tempos.

Redmond Barryé um jovem irlandês, pobre e órfão que mora na casa dos tios e é expulso do lugar pois a vadia de sua prima queria que ele colocasse as mãos dele em seus peitos mas não queria casar com ele, se alista no exército, mas se torna um desertor e acaba capturado pelo exército adversário (acho que alemão) pra trabalhar como espião em seu lugar de origem, porém, o gato conhece Lady H.Lyndon pela qual se apaixona.

Antes de mais nada, falar de Barry Lyndon sem falar da minuciosidade dos atributos técnicos que o filme possui, a riqueza nos detalhes, o cuidado perceptível de cada enquadramento que faz pedras brotarem dos rins do Tom Hooper de tanta inveja que o homem deve ficar. A beleza é tão extraordinariamente outro nível que qualquer momento do filme que você pausar pode ser feito um print e colocar na parede da sua sala e ainda assim, parecer um puta de um quadro (é sério,tentem).

barrylyndon2

Nunca havia visto um filme da criação, ascensão e derrocada de uma personalidade com um roteiro tão caprichado, tipo de filme pelo qual o roteirista preferiria explorar histórias paralelas desinteressantes, Barry Lyndon, não, um filme genial justo por ser tão egoísta. Um ponto absolutamente curioso no filme é a duração de 3h15 onde que se passa como se fosse 30 minutos, não te permite ficar entediado por momento algum, o filme é um avanço contínuo.

Barry Lyndon é o tipo de personagem que é necessário um ator um tanto camaleônico, N atores considerados melhores poderiam ter feito o filme (tipo Marlon Brando, Paul Newman,etc) mas a escolha foi Ryan O´Neal e após ver o filme, é simplesmente impossível pensar em outra pessoa ao ver o filme. O ator vai do nascimento com o medo necessário à ascenção com um tom arrogante impressionante, indo da caída de forma quase autodestrutiva ao fracasso como se fosse a coisa mais fácil do universo atuar. E sobre a direção do Stanley Kubrick, única coisa que posso dizer é : ASSISTAM A BARRY LYNDON.

barrylyndon1

Resumindo, Stanley Kubrick filma a desgraça que a ganância pode causar na vida de nós, cidadãos brasileiros que jogam a moça grávida escada abaixo apenas pra ter a promoção tão sonhada em seu emprego de costureira, onde Kubrick filma com perfeição o “Quanto mais alto o vôo,maior a queda”

NOTA LEANDRO FERREIRA : 10

Alexandre Alves : 10
Felipe Rocha: 10
Marcelle Machado: 10
Tiago Lipka: 10

Média Claire Danes do Shitchat: 10

tumblr_mb8594rs2W1qgwaixo1_500

Revenge – 2ª temporada

revenge1

Depois do polêmico texto sobre o final de Fringe de Felipe, vamos falar sobre outra série tão boa quanto (mas que não se leva a sério). Existe uma série boa dentro de Revenge, assim como existe uma comédia melhor ainda. O problema é que essa parte boa fica um pouco ofuscada com os diálogos cretinos e excesso de botox. Mas nada disso tira a beleza que a série conquista em episódios como Sabotage* (2×11) e Collusion (2×12).

Até pensei em explicar aqui para quem não conhece a série, mas em Revenge acontece tanta coisa em tão pouco tempo que eu não ia conseguir. Mas, resumindo: uma menina (Emily Thorne) volta para fazer vingança às pessoas que armaram contra o pai dela, que já morreu. Até a primeira temporada ela tinha uma foto com todos os que ajudaram no plano e ia riscando, tipo novela assim, mas daí acho que eles cansaram e hoje ninguém mais sabe exatamente qual o plano dela. Ela praticamente fica atrapalhando os ricos e poderosos e isso já é o suficiente para a nossa diversão.


 

 

 

 

 

 

 

 

Eis o segredo do sucesso: um monte de gente rica e infeliz fazendo barraco e querendo sempre sair por cima, uma milionária bonitinha que quer vingança (mas ainda assim tem sentimentos) e conta com a ajuda de seu amigo hacker bonzinho de orientação sexual ainda indefinida. Como essa mistura não poderia ser boa? E, sim, eu também acho que é muito fácil se vingar de todo mundo quando se tem muito dinheiro e um melhor amigo disposto a te ajudar também rico e que sabe hackear tudo o que vê pela frente. Assim até eu.

quando fico com sangue nos olhos ninguém me seguraaaaa

quando fico com sangue nos olhos ninguém me seguraaaaa

Mas então, qual é a magia dessa série? Os acontecimentos. A história anda muito rápida, em dois episódios o inimigo já mudou e quem estava do lado dela já foi para o outro. É praticamente uma The Vampire Diaries se a gente trocar as coisas sobrenaturais e mitológicas por dinheiro e bebida. O mais engraçado é como eles tem sempre que mostrar o quanto eles são ricos. Compram prédios inteiros para ter acesso a um apartamento e filmar algo, dão o lance de um milhão (UM MILHÃO) em um leilão de vinhos (como ser mais cafona?) sem nenhum objetivo. Deixa eu contar aqui que o vinho mais caro, de um milhão, estava estragado e a protagonista só descobriu isso tomando o primeiro gole de comemoração com seu namorado/objeto de vingança. Se isso era para ser alguma metáfora, nunca saberei, mas deixo aqui se alguém quiser explicar.

No episódio da semana passada também rolou um seqüestro forjado (para ganhar a confiança do inimigo, é claro), com direito a tiroteio e tudo. Sensacional. Também tem a amiga biscate usando a identidade verdadeira da protagonista no maior estilo A Usurpadora (porém, ela engravidou do cara que a Emily gostava e agora é de família, além de ser a pior atriz do mundo). Esse núcleo, dos pobres, é o pior da série. Juro que não é preconceito, eles simplesmente não tem nenhuma ligação com a trama da vingança principal e nem proporcionam diversão como a família Grayson. Eles basicamente são tipo as críticas do Pablo Villaiça: só servem para você se irritar.

Victoria-não importa o quanto eu te odeie eu sempre vou sorrir assim-Greyson (relevem pois ela já faz milagres apesar do botox que tem)

Victoria-não importa o quanto eu te odeie eu sempre vou sorrir assim-Greyson (relevem pois ela já faz milagres apesar do botox que tem)

Não posso deixar de falar de Victoria Grayson, melhor personagem da série. Além de ter em seu rosto mais botox do que todas as apresentadoras de telejornais da Globo juntas, ela é tudo o que você odiaria em um personagem se fosse em um drama que se levasse a sério. Como é Revenge, onde tudo pode, a gente aceita que ela seja falsa, fale manso e manipule tudo calmamente. A gente finge que nem percebe que ela não consegue piscar com os dois olhos. Poderia ficar falando horas sobre essa maravilhosa, mas ela merece um post sozinho só para enumerar tudo o que ela fez em menos de duas temporadas – e não foi pouco.

Mas, é isso, assistam Revenge e se alguém falar “é igual Avenida Brasil” está permitido dar tapa na cara e olhar para a pessoa como na imagem abaixo:

(Fora que Revenge é inspirado no livro O conde de Monte Cristo, escrito muito antes que essa novelinha aí, então quem é a culta agora hein seu pedante).

P.S: como um leitor muito esperto lembrou, eu realmente esqueci de falar de outra coisa ótima da série (é que são muitas, desculpa). Quando você acha que nada pode ser mais cafona, aparece um flashback com Emily e seu treinador oriental. Sim, ela tem um japa que é orientador de vingança. E se você achou isso demais, mal espere para saber que eles simplesmente mudam o ator na segunda temporada no maior estilo Firmino do Carrossel original.
*Essa série só tem nomes de episódios assim, tipo “Power”, “Penance” ou Destiny”. Pois é, nem no nome do episódios eles conseguem não ser cafonas.

NOTA DIERLI SANTOS: 10 para AS. DELÍCIAS. DE. PERUCAS que a série usa.

Felipe Rocha: 10 pro olho tortíssimo de Victoria Grayson, 10 pra sacada que às vezes tá pertinho da casa da Emily e às vezes tá muito longe, 10 pra essa cena, 0 pra essa vadia, 0 por terem trocado o ator que fazia o japa mentor mas bônus de 7 por terem colocado o Shang Tsung no lugar.

MÉDIA CLAIRE DANES DO SHITCHAT: sei lá, Claire Danes se perdeu nessa palhaçada toda.