Mama

Mama (Mama, Dir. Andrés Muschietti – 2013)

Muita polêmica, muita confusão, resolvi meter as caras e escrever sobre Mama. Roubando spotlight da funcionária Ralzinho Carvalho, porém aqui está sua contribuição:

Ralz está #corretíssimo.

Ralz está #corretíssimo.

Mama é mais um filme que não apresenta nada de interessante para o gênero. Pode até ser que o filme tenha boas intenções, mas com boas intenções tem um monte de filme já feito por aí. Por mais que você perceba essas tais boas intenções que o começo de Mama traz, é difícil, bem difícil achar algo pra defender o filme que não envolva: ❤ Jessica Chastain ❤

Annabel (Chastain) e Lucas (Nikolaj Coster-Waldau) vão ter que enfrentar o desafio de criar as sobrinhas ainda crianças depois de 5 anos deixadas numa cabana na floresta. O quão sozinhas elas estavam é um mistério. Originado de um curta espanhol (este), Mama não funciona como longa. Fim. Fracassa tanto em querer dar sustos quanto em querer meter medo. O roteiro é mal construído com a história prolongada e sofre com um alto grau de previsibilidade: estamos falando aqui justamente de um filme que cumpre quase todos os pré-requisitos de gênero atualmente.

A protagonista retardada, pura e casta é talvez o único pré-requisito que Mama não respeita. Então aí temos um ponto interessante. A personalidade forte de Annabel se destaca. Mesmo que Nikolaj Coster-Waldau esteja bem longe de uma atuação ruim, seu personagem não tem força suficiente pra segurar um filme como a personagem de Chastain. Lucas tem sua parcela de significância para a trama restrita a ser tio das meninas.

fechativa <3

fechativa ❤

Andrés Muschietti, responsável também pelo curta, só usa truques filhos da puta e preguiçosos, e é isso que me sobe o sangue. O ápice disso é nos minutos finais que é tudo horroroso. Porém, alguns pontos no começo do filme tem um potencial pra fazer algo bom sim. O Segredo da Cabana, por exemplo, fez bonito usando o que o gênero tem oferecido de melhor nos últimos anos e resulta num filme excelente.

Mas voltando, EU-NÃO-TENHO-MAIS-SACO-PRA-ESSES-FILMES-QUE-SE-REPETEM. Explico:

  1. Vou esperar anoitecer para ir sozinho a um lugar que eu tenho certeza que é mal-assombrado;
  2. Luzes piscando em momentos #tensos;
  3. Garotinhas surgindo do nada entre essas luzes piscando;
  4. Trilha querendo assustar nesses momentos;
  5. Essa necessidade de explicar tudo sobre o fantasma/espírito/entidade e humanizá-lo.

Para um filme que se preocupa tanto de explicar tudinho, Mama abandona tramas aos montes. O pior é que o que os roteiristas abandonam já é coisa que nem deveria ter começo. Dr. Dreyfuss, a tia que quer a guarda das meninas, e até mesmo Lucas (Coster-Waldau) têm arcos mal resolvidos. De novo, Nikolaj Coster-Waldau está ótimo, mas fazem uma sacanagem com o cara na cena mais estúpida do filme:

mama2

ta

A partir dessa cena, percebi que não dava mesmo pra levar Mama a sério. Nem mesmo Jessica Chastain tatuada, roqueira com camiseta do Ramones e The Misfits salva esse filme – sozinha é meio difícil salvar. E se nem Chastain que é unanimidade no Shitchat salva Mama, o nome de Guilhermo Del Toro na produção também não. Devia ter ficado só no curta mesmo.

NOTA RAFAEL MOREIRA: 3,0

Alexandre Alves: 7,5
Dierli Santos: 6,5
Felipe Rocha: 5,5
Ralzinho Carvalho: 4,0
Tiago Lipka: 8,0

MÉDIA CLAIRE DANES DO SHITCHAT: 5,75