Anna Karenina

annakarenina5

(Anna Karenina, Dir. Joe Wright, 2012)

Aí que você tem que fazer um texto de um filme para o qual você possui uma certa expectativa por motivos de parceria repetida de um dos filmes que você mais gostou de assistir nos últimos anos. Além disso, pra quem é desavisadérrimo, nós aqui do Blog do Shitchat usamos uma certa linguagem diferente ao fazer os nossos textos. Alguns filmes são difíceis de fazer os textos com zuação, mas alguns são tão fáceis de ser zoado que eu chego a me impressionar com isso. Obg, Anna.

de nada,gato

de nada, gato

Anna Karenina é uma querida casada há 9 anos com Alexei Alexandrovich Karenin, com quem tem um filho e um casamento estável. Aí que essa gata conhece o nobre soldado Alexei Vronsky, um jovem bonito e levemente gay com aquele cachos dourados que me remetem a atores pornôs da década de 90. Anna e Vronski se apaixonam e tudo se torna um escândalo, já que Anna é mulher de classe e seu marido é um membro importante da sociedade Russa, sem mencionar que Vronski está de casamento marcado com a Princesa Kitty.

Primeiramente, antes de mais nada, devemos ressaltar Joe Wright. O esforço dele é considerável, o filme tem cara de grande produção da Broadway, onde tudo se passa dentro de um grande teatro, os cenários se mexem, os planos-sequências são perfeitos etc. Joe definitivamente é um rapaz que sabe o que faz. Porém, nessa de saber o que faz, a impressão que dá é que ele se atrapalha ou se cansa de seu próprio recurso ao usar cenas off stage. Sem contar que o estilo extremamente teatral do filme dá nos nervos em certo ponto.

annakarenina1

Em termos técnicos, estamos falando do Joe Wright dirigindo um filme de época, ou seja, menos que lindo não é possível ser. Diferentemente de Desejo e Reparação, a equipe preferiu focar no trabalho de arte impressionante e nos figurinos deslumbrantes e a fotografia continua belíssima, mas não tão evidente quanto a do filme anterior – e aqui terminam as comparações com Desejo e Reparação. Outra coisa que é muito válido relembrar é Dario Marianelli, pois:

annakarenina6

Uma coisa que Joe Wright sabe fazer bem é conduzir certas cenas, e neste texto, que já tá gigante, destacarei algumas. O momento no qual Anna e Vronski têm o primeiro encontro é absurdamente bem conduzido Quando Anna entra no salão pra dançar e todos param, apenas ❤ – mas só até certo ponto, pois durante a dança, a edição começa a se tornar um samba do criolo doido e aí fode. O que você acha, Glenn?

caguei, fui beber

caguei, fui beber

Já no segundo ato do filme, temos uma cena maravilhosa protagonizada por Kitty e Konstantin, na qual ambos usam um jogo de palavras para expressarem o que sentem. Mas e aí, querida amiga Glenn, o que você achou disso?

imagem2

maravilhoso

E aí que temos uma terceira cena em destaque. Já perto do fim do filme, Anna vai assistir um espetáculo no qual sofre bullyings por ser um tanto cachorra e presenciamos uma cena de humilhação sem graça, com um chilique mais repentino que os mimimis de certas inimigas minhas ‘Marcelha”. E aí, Glenn? E agora?

ridícula

ridículo

Obrigado, Glenn, pela constante colaboração. O elenco (que não tem Glenn Close, infelizmente) é caprichado até certo ponto. Os coadjuvantes se sobressaem mais que os protagonistas. Temos Jude Law ótimo sendo um corno gente fina, temos Kelly Macdonald maravilhosa com um papel importante na personalidade de Anna Karenina, temos Alicia Vinkander e Domhall Gleeson com uma química belíssima e protagonizando o que o filme tem de melhor em termos de interpretação. E temos até uma paquita.

Ila,Ilariê,Ô Ô Ô

Ilá, Ilariê, Ô Ô Ô

E também temos Keira Knightley e Aaron Johnson. Aaron é um ator interessante, atua bem quando lhe é conveniente. O personagem não ajuda e nem sua afetação, porém ele compensa ao mostrar suas pernas em certa cena, mas não o suficiente pra nos fazer esquecer que a atuação é bem fraca. Já Keira, que é uma das minhas atrizes favoritas da atualidade (chupa, haters!), tem momentos ótimos (como exemplo, os surtos de mimimi) e momentos péssimos, saídos de comerciais do perfume Givenchy.

this is a maaaaaaans...world

this is a meeeeeeen’s world

Resumindo, Anna Karenina podia ser um ótimo filme e com uma ótima personagem central, que funciona quando quer mostrar atemporalidade de quão machista é a sociedade. Porém o filme peca por conta do diretor que prefere favorecer suas incríveis artimanhas na direção e acaba fazendo um filme frio e distante, que não nos dá a oportunidade de nos preocuparmos com a história mais importante do filme, ou seja…

annakarenina2

a vida imita o Blog

NOTA LEANDRO FERREIRA : 4

Felipe Rocha : 4.5
Rafael Moreira: 4,0

Média Claire Danes do Shitchat : 4.25 claire 3 a 5

2 respostas em “Anna Karenina

  1. Meu problema com o filme foi o següinte: Joe Wright quer ser ousado e inovador e contar a história de uma forma diferente. OK, admiro sua atitude, Joe. Mas puta que me pariu, que metaforazinha safada e óbvia.

    “na sociedade russa da época era tudo encenação nhenhenhe” chupa meu cu

  2. Pingback: Blog de Ouro 2014: Melhor Direção de Arte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s